Rio firma parceria com Governo Federal para construção de unidades e aumento de vagas no Degase

junho 28, 2019 /

O Governo do Estado do Rio de Janeiro fechou parceria com o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos para construção de duas unidades do Departamento Geral de Ações Socioeducativas (Degase), em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, cada uma com capacidade para 90 adolescentes. Serão destinados ao Rio de Janeiro R$ 25 milhões do Governo Federal. Somadas às mil novas vagas anunciadas no início desta semana, Rio de Janeiro atenderá a 1.200 jovens no sistema socioeducativo.

O anúncio foi feito em conjunto nesta quinta-feira (27), pelo governador Wilson Witzel e pela ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves.

– Essa parceria será muito importante, pois queremos recuperar os adolescentes para que possam retornar ao convívio social melhor do que quando ingressaram no sistema socioeducativo. Com esse investimento do Governo Federal, o Rio de Janeiro terá mais capacidade para receber e educar os menores em conflito com a lei – declarou o governador Wilson Witzel.

No início desta semana, o Governo do Estado anunciou que, até dezembro deste ano, serão criadas 220 vagas de semiliberdade com a instalação de novas unidades do Degase nas regiões Norte, Sul, Baixada Fluminense, Região dos Lagos e na capital. Também serão criadas, até o final deste ano, outras 200 vagas de internação e internação provisória na Região Serrana e no Leste Fluminense.

Com isso, o Degase terá até dezembro 420 novas vagas no estado. Além disso, até o segundo semestre de 2020, serão criadas mais 600 vagas de internação e internação provisória. O total do investimento, com recursos do Governo do Estado, será de pouco mais de R$ 125 milhões, já incluindo o custeio. Agora, com o investimento do Governo Federal, serão mais 180 vagas.

De acordo com o secretário de Estado de Educação, Pedro Fernandes, todas as novas unidades de internação terão escolas da rede estadual de Educação integradas.

– Ao todo, somando as vagas criadas ainda este ano e as que serão geradas ao longo de 2020, serão 23 unidades com cerca de 1.200 novas vagas nos regimes de semiliberdade e de internação. Com isso, a previsão é de resolver esse problema em alguns meses, dando condições adequadas de internação e de ressocialização aos jovens do Degase e, ainda, oferecendo capacitação profissional para que possam ter mais oportunidades no mercado de trabalho – destacou Pedro Fernandes.

Ainda segundo o secretário, para fortalecer a ressocialização destes jovens, a Secretaria de Educação, em parceria com a Faetec, ofertará cursos profissionalizantes aos adolescentes do Degase nestas novas unidades.

Aloma Carvalho