Queimados implanta Base Nacional Comum Curricular

agosto 8, 2019 /

Ampliar o conhecimento, debater e tirar dúvidas sobre os desafios e mudanças na implementação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) 2020: essas foram as metas da Primeira Jornada Pedagógica Curricular, desenvolvida pela Prefeitura de Queimados, por meio da Secretaria Municipal de Educação. Foram três dias de palestras e seminários, que mobilizaram mais de mil profissionais da rede municipal de ensino. O encerramento da programação aconteceu nesta quarta-feira (7), no Teatro Metodista e na Universidade Estácio.

Sob o tema “Reflexões sobre currículo, uma construção possível na Rede Municipal”, o encontro promoveu, desde a segunda-feira (5), a participação de docentes, orientadores educacionais e pedagógicos, professores de salas de recursos, cuidadores e auxiliares de creche das 30 unidades de ensino da rede para discussão da formação da Base Nacional Comum Curricular. No total, foram realizadas sete palestras e dois encontros nas unidades escolares.

A Base Nacional Comum Curricular é um documento que norteia quais são as aprendizagens essenciais a serem executadas nas instituições públicas e particulares de Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio em território nacional. O objetivo do plano é garantir o direito à educação de qualidade e a promoção da igualdade no sistema educacional, colaborando para a formação integral e para a construção de uma sociedade mais justa, democrática e inclusiva.

Presente nos encontros, o Secretário da Pasta, professor Lenine Lemos, fez questão de salientar os avanços que a educação obteve nos últimos anos na cidade. “É uma característica do nosso município ter momentos voltados para discussão e planejamento de toda rede, além de capacitarmos periodicamente nossos docentes. Esses dias de formação não trarão prejuízos aos alunos, até porque ajustamos o calendário. Na verdade esse tempo é necessário para que os educadores adquiram mais conhecimentos e experiências, que futuramente serão multiplicados em sala de aula. É por isto que a cidade teve o melhor IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) de sua história no último levantamento”, relembrou o educador.

Docente há seis anos na rede municipal, a professora de Educação Infantil, Lívia Mesquita (34), fez questão de participar dos encontros e propor novas ideias para a educação brasileira. “É importante que a cidade promova atividades como essas, pois através desses encontros podemos formular novos modelos didáticos para que sejam implantados na sala de aula. Na verdade, quem sai ganhando são os nossos alunos. Nosso índice histórico no IDEB e foi uma injeção de ânimo em todos os professores”, concluiu.

Aloma Carvalho