Queimados alerta a população sobre a luta antimanicomial

maio 20, 2019 /

Em alusão ao “Dia Nacional da Luta Antimanicomial”, celebrado no último sábado (18), a Prefeitura de Queimados, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, promoveu um Fórum Intersetorial de Saúde Mental. Sob o tema “Do Luto à Luta – Cenário Atua da reforma Psiquiátrica”, o evento realizado na manhã desta segunda-feira (20), no auditório do Centro de Esporte e Lazer da Terceira Idade (CELTI), teve como principal objetivo combater a ideia de isolar pessoas com transtornos mentais.

A abertura do evento ficou por conta dos moradores de uma das Residências Terapêuticas do município. Recuperados após ficarem anos abandonados por suas famílias nos manicômios, eles emocionaram todos que estavam presentes ao declamar o poema de Leandrinho dos Santos. Com o nome “Pensando a Saúde Mental”, a obra fala que o melhor tratamento para uma pessoa com transtornos mentais é o amor, carinho e atenção de todos à sua volta.

A Psicóloga Beatriz Adura, contou sobre sua experiência como militante pelo fim dos manicômios. “Estou há 21 anos nessa luta por acreditar que trancar não é tratar. Já conquistamos muitas coisas nesse período, mas só conseguiremos avançar quando as pessoas deixarem seus preconceitos de lado, de achar que pessoas com problemas mentais são perigosas e passarem a ter mais amor e empatia por quem só precisa de um pouco de atenção”, declarou.

Durante o evento foi falado sobre a conquista da Lei 10.216/2001, que determinou o fechamento dos manicômios e a implantação de novos serviços como os CAPS, Residências Terapêuticas, entre outros, que garantem o acompanhamento dos indivíduos com transtornos mentais, fortalecendo o vínculo familiar e comunitário e fortalecendo a autonomia dessas pessoas.

Em Queimados, esses serviços foram implantados para garantir um atendimento de qualidade para todos. “O governo tem abraçado o trabalho com pacientes com transtornos mentais. Só aqui no município temos quatro Residências Terapêuticas, Ambulatório de Saúde Mental, Núcleo de Álcool e Outras Drogas, um Centro de Atenção Psicossocial e um Centro de Atenção Psicossocial Infanto-Juvenil. Juntos, realizam aproximadamente 5 mil atendimentos ao mês”, destacou a Subsecretária de Saúde, Ruth Costa.

Para atendimentos em um desses serviços, basta ir até o Centro de Atenção Psicossocial (Travessa Marques, 195, Centro), de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, com identidade, CPF, comprovante de Residência e Cartão do SUS e agendar a consulta no setor desejado. Outras informações 21 2665-1799.

Aloma Carvalho