Programa da Bayer já economizou mais de quatro bilhões de litros de água no Parque Industrial de Belford Roxo

abril 18, 2019 /

Com elevado gerenciamento dos recursos hídricos no Parque Industrial de Belford Roxo, 75% da água consumida já é proveniente de reuso

O parque fabril da Bayer está situado na Baixada Fluminense; a região mais populosa do Grande Rio. A empresa adotou uma série de medias com foco na redução do consumo de água, considerando que este é um recurso de extrema importância para a sociedade,

Nos setores da empresa onde se consome água potável, foram instalados medidores que possibilitam o estabelecimento de metas e o controle periódico dos consumos, sendo então possível a adoção de ações corretivas quando se verificam desvios. Também foram instalados dispositivos simples, mas eficazes para evitar o desperdício de água, como torneiras automáticas.

Já nos seus processos industriais, a Bayer optou por empregar água fornecida majoritariamente de uma fomente alternativa. Há 11 anos, a empresa implantou um moderno sistema de tratamento de água do rio Sarapuí, que flui ao largo do seu parque industrial. A água passa por processos de desinfecção, clarificação, filtração e osmose reversa para atingir o padrão de qualidade requerido para uso em torres de resfriamento, geração de vapor, prevenção de incêndio, jardinagem, limpezas e aplicações diversas na planta.

Também foram feitas alterações nos processos e equipamentos para minimizar o volume de água empregada para lavagem e também para permitir o seu reuso. Todo o efluente do site passa por uma moderna Estação de Tratamento de Despejos Industriais (ETDI) que, empregando processos físicos, químicos e biológicos, possibilita o seu descarte em um ponto do rio, montante do local de captação, atendendo aos rígidos padrões legais.

Com essas práticas de gestão e reuso, além de fechar o ciclo ecológico de gerenciamento de recursos hídricos, a Bayer deixa de consumir 25 mil m³ de água potável mensalmente. O volume é suficiente para suprir a necessidade mensal de consumo de quase 8 mil pessoas – levando em consideração que a base do consumo per capita recomendado pela Organização das Nações Unidas (ONU) é de 110 litros diários por habitante. Em 11 anos, a Bayer já deixou de consumir mais de quatro bilhões de litros de água potável fornecida pela Cedae.

Paulo Cézar

PAULO CEZAR PEREIRA, também chamado de PC ou Paulinho da Baixada, aprendeu jornalismo nas redações de alguns principais veículos – rádios,jornais e revistas. Conheceu, como Repórter Especial do GLOBO, praticamente todos os estados brasileiros, as duas antigas Alemanhas antes da reunificação, Suiça, Austria, Portugal, França, Itália, Bélgica, Senegal, Venezuela, Panamá, Colômbia e a Costa Rica. É casado com Ana Maria e tem três filhas que já lhe deram cinco netos. Tem três paixões: a família, o jornalismo e o Flamengo. No passado, assessorou um governador, um senador, dois prefeitos e vários deputados. Comandou a área de Comunicação de Nova Iguaçu num total de 12 anos. Já produziu três livros : um para a Coleção Tiradentes, outro contando a evolução de Nova Iguaçu quando a cidade completou 170 anos, e o do jubileu de ouro da Diocese de Nova Iguaçu.