Prevenção à violência contra mulheres : governo do estado volta a usar Ônibus Lilás em atendimentos hoje ( 16/10) em Mesquita

outubro 16, 2019 /

 

 Barra Mansa, Volta Redonda, Paraíba do Sul, Itaocara e
Rio de Janeiro também  vão receber ação itinerante durante o Outubro Rosa

Os Ônibus Lilás, que levam informações sobre prevenção à violência contra a mulher e prestam atendimento às vítimas, estão de volta. A partir de hoje, dia 16, a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, por meio da Subsecretaria de Políticas para as Mulheres, reativa a agenda itinerante. O primeiro município a ser contemplado é Mesquita, na Baixada Fluminense, seguido de Barra Mansa (22), Volta Redonda (22), Paraíba do Sul (23), Itaocara (25) e Rio de Janeiro – Praça XV (31 de outubro). Em Mesquita, os profissionais estão atendendo, no ônibus estacionando na Praça do Cristal, em Edson Passos, até às 15 horas.

Pintados na cor lilás, os ônibus são equipados com salas fechadas para garantir privacidade às mulheres, com modelo de atendimento multidisciplinar para vítimas de violência. No local estão uma psicóloga, uma assistente social e uma advogada em esquema de plantão para atendimentos que se fizerem necessários. Os ônibus estarão estacionados em praças públicas, das 10 às 15h. A programação vai contar ainda com palestras na área externa, sob o toldo do Ônibus Lilás, com capacidade para 20 pessoas.

OUTUBRO ROSA

A ação marca ainda a adesão da Secretaria de  Estado de  Desenvolvimento Social e Direitos Humanos ao movimento Outubro Rosa, que alerta as mulheres sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama e mais recentemente sobre o câncer de colo do útero. Durante este mês, a ação também levará informações sobre a campanha.

“O objetivo dos Ônibus Lilás é prestar atendimento a mulheres em situação de violência, fomentar políticas públicas específicas voltadas para este público e fazer um mapeamento da região em relação ao índice de violência contra elas”, explica a psicóloga Patrícia Xavier, superintendente de Enfrentamento à Violência contra Mulheres da SEDSODH. O serviço havia sido suspenso em julho para reparos nos dois veículos usados para percorrer os municípios.

Feminicídios no Estado do Rio

De acordo com dados da Polícia Militar, em 2018 foram registrados 71 feminicídios e 288 tentativas, 66% dos casos ocorreram dentro das residências das vítimas e 56% dos crimes tiveram como autores companheiros ou ex-companheiros. A Baixada Fluminense lidera o ranking da violência, com 23 casos de feminicídios e 73 tentativas no ano passado.

Nos primeiros quatro meses de 2019, a PM recebeu quase 22 mil chamados referentes à violência contra a mulher, mas apenas 16% desses tiveram registro nas delegacias. A ‘Patrulha Maria da Penha – Guardiões da Vida’, um programa do governo do estado para combate à violência doméstica, destaca que 77% das ocorrências relativas à violência contra as mulheres são interrompidas pela vítima no próprio local do fato.

 

foto: Uanderson Fernandes/ Divulgação

Paulo Cézar

PAULO CEZAR PEREIRA, também chamado de PC ou Paulinho da Baixada, aprendeu jornalismo nas redações de alguns principais veículos – rádios,jornais e revistas. Conheceu, como Repórter Especial do GLOBO, praticamente todos os estados brasileiros, as duas antigas Alemanhas antes da reunificação, Suiça, Austria, Portugal, França, Itália, Bélgica, Senegal, Venezuela, Panamá, Colômbia e a Costa Rica. É casado com Ana Maria e tem três filhas que já lhe deram cinco netos. Tem três paixões: a família, o jornalismo e o Flamengo. No passado, assessorou um governador, um senador, dois prefeitos e vários deputados. Comandou a área de Comunicação de Nova Iguaçu num total de 12 anos. Já produziu três livros : um para a Coleção Tiradentes, outro contando a evolução de Nova Iguaçu quando a cidade completou 170 anos, e o do jubileu de ouro da Diocese de Nova Iguaçu.