Presidente da Comissão de Saúde da Alerj faz alerta sobre relação entre Tuberculose e pobreza

agosto 7, 2019 /

A cada ano, no Brasil, são notificados 70 mil novos casos de Tuberculose, a quarta doença infecciosa que mais mata no mundo. Somente no Rio de Janeiro, o segundo estado brasileiro com maior índice de incidência da doença, foram registrados mais de 14 mil pacientes apenas em 2016. Os dados fazem parte de um manifesto produzido pelo Fórum Estadual de Tuberculose (Fórum TB-RJ) em prol do aumento do investimento em ações para o controle e erradicação da doença. Durante sessão plenária realizada nesta terça-feira (06/08), o documento foi lido pela presidente da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), deputada Martha Rocha (PDT), em razão do Dia Estadual de Conscientização, Mobilização e Combate a Tuberculose.

“Esse manifesto estima que os pacientes com a doença têm uma perda de 50% nos seus rendimentos salariais em virtude da enfermidade, então existe esse aspecto que é muito cruel. Cuidar da tuberculose é também retirar as pessoas da pobreza”, disse a deputada Martha Rocha (PDT) sobre o documento que será publicado em Diário Oficial. “No caso do nosso estado, me preocupa muito a situação do Hospital Santa Maria. Foi noticiado que ele seria fechado por conta de uma atuação da milícia, o que não se confirmou. Não podemos abrir mão desse serviço, não se fecha hospital”, criticou a parlamentar.

O manifesto aponta que a incidência da Tuberculose está intimamente relacionada à pobreza e à desigualdade social, já que o acesso precário (ou até mesmo inexistente) ao saneamento básico, à alimentação saudável e à moradia de qualidade estão entre os fatores que facilitam a infecção. “Por conta dessas determinantes sociais, a doença tem uma incidência muito grande entre a população prisional, pessoas em situação de rua, moradores de comunidades empobrecidas e pessoas com imunodeficiência”, explicou o membro do comitê gestor do Fórum, Roberto Pereira.

O documento traz ainda uma série de reivindicações para a maior aplicação de recursos financeiros na área, o fortalecimento de lideranças sociais e a união entre as diferentes esferas do Poder Público e da sociedade civil. Atualmente, o Brasil está entre os 30 países que concentram 80% de todos os casos de Tuberculose no mundo.

Aloma Carvalho