Pentacampeã do Ironman Brasil estará em Nova Iguaçu para falar sobre como vencer seus próprios limites

maio 17, 2019 /

Com o objetivo de aproximar os grandes profissionais do esporte da comunidade acadêmica e motivar os estudantes universitários, a Estácio Nova Iguaçu convidou a triatleta Fernanda Keller para ministrar a palestra “Vencendo Limites”. O encontro – aberto ao público da Baixada Fluminense – acontecerá em 22 de maio, a partir das 19h, no campus Estácio Nova Iguaçu. Fernanda falará sobre os momentos importantes da sua trajetória que contou com muita dedicação, determinação e superação. Ela comentará como conseguiu se consagrar uma campeã na competição mais difícil do mundo, o Ironman: são 3,8 km de natação, seguidos de 180 Km de ciclismo e 42 Km de corrida.

Muitos não sabem, mas desportista é pioneira neste esporte que ela mesmo ajudou a inventar. Sua carreira vitoriosa tem mais de 30 anos e sua experiência adquirida é uma fonte de inspiração para as pessoas que enfrentam desafios.

O currículo da ironman brasileira é singular, ela é a única triatleta do mundo a conseguir se classificar 14 vezes entre as 10 melhores triatletas do mundo, sendo seis vezes entre as três melhores do mundo, no Campeonato mundial de Ironman no Hawaii. Este número é um recorde mundial até hoje e será muito difícil de ser batido. São 23 participações consecutivas na categoria profissional e 25 participações totais nesta prova mais importante de triathlon do mundo. Fernanda Keller já participou de mais de 100 provas de Ironman pelo planeta.

Para ajudar crianças e adolescentes, Fernanda criou o Instituto Fernanda Keller. O projeto foi criado com finalidades educacionais, culturais e desportivas destinada a ser mantenedora de programas e projetos de alcance social, onde coloca em prática sua missão e contribui com a inserção de crianças, adolescentes e jovens em situação de exclusão social, educacional e cultural, no contexto sócio-histórico-cultural contemporâneo, cujas atividades nesses anos abrangem atendimento a mais de 6.000 crianças e jovens da população de risco.

Aloma Carvalho