MP RJ cumpre mandados de busca e apreensão em “QG da Propina” de Crivella

março 10, 2020 /

Equipes do Ministério Público Estadual do Rio de Janeiro e da Polícia Civil estiveram, na manhã desta terça-feira (10), na Cidade das Artes, sede da Rio Tour, cumprindo mandados de busca e apreensão referente a investigação que tem como alvo o prefeito Marcelo Crivella. Segundo a denúncia, Crivella teria criado um balcão de negócios, na Prefeitura do Rio, para a liberação de verbas a empresas mediante pagamento de propina.

A ordem de busca e apreensão foram dadas pela desembargadora do Tribunal de Justiça do Rio, Rosa Maria Helena Guita. Ao todo, são 17 alvos da operação de hoje, detre elas estão: a sede da Riotur, na Barra da Tijuca, e as residências do presidente da entidade, Marcelo Alves, e de seu irmão, Rafael Alves.

As buscas iniciaram às 6h de hoje na Cidade das Artes, pouco antes do horário do evento que contaria com a presença de Crivella. Às 9h, o prefeito do Rio daria posse a 58 profissionais da Saúde. Porém, segundo a assesspria do prefeito, Marcello Crivella não participará mais do evento.

As investigações contra o prefeito do Rio se deram após a colaboração premiada do doleiro Sérgio Mizrahy, preso pela operação Câmbio, Desligo, em 2019. Durante o depoimento, Mizahy afirmou haver um “QG da Propina” operando dentro da Riotur e apontou o empresário Rafael Alves como o operador do suposto esquema no município.

De acordo com o doleiro, Rafael Alves teria se tornado um dos homens de confiança de Crivella por ajudá-lo a viabilizar a doação de recursos de empresas e pessoas físicas na campanha de 2016. Com a vitória de Marcelo, o empresário conseguiu com que o irmão tomasse posse na Riotur e montou um “QG da propina” na prefeitura mesmo sem ocupar cargo. “Rafael Alves viabiliza a contratação de empresas para a prefeitura e o recebimento de faturas antigas em aberto, deixadas na gestão do antigo prefeito Eduardo Paes, tudo em troca do pagamento de propina”, contou Mizrahy em sua delação.

Prefeito cancela agenda

O prefeito Marcelo Crivella cancelou a agenda que estava marcada para a manhã desta terça-feira na Cidade das Artes, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio, local da sede da Riotur, alvo de uma operação do Ministério Público Estadual (MP-RJ) e da Polícia Civil, deflagrada nesta terça.

A agenda era a posse de 58 novos profissionais da área de saúde que vão atuar na Subsecretaria de Vigilância, Fiscalização Sanitária e Controle de Zoonoses (Subvisa), órgão vinculado à Secretaria Municipal de Saúde (SMS-Rio).

Aloma Carvalho