Moro diz à CCJ que sua mensagens divulgadas em site são “completamente normais”

junho 19, 2019 /

O ex-juiz participa de audiência para dar explicações sobre diálogos revelados por site que indicam colaboração com o com força-tarefa da Lava-Jato.

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, participa nesta quarta-feira (19), da sessão da Constituição de Comissão, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado para prestar satisfação sobre as supostas mensagens trocadas com procuradores da Lava Jato quando ainda era juiz em Curitiba. O material foi revelado pelo site The Intercept Brasil.

Durante seu pronunciamento à (CCJ) sobre as conversas vazadas com o procurador Deltan Dallagnol, Moro disse que suas mensagens são “completamente normais”, embora não possa reconhecer a autenticidade do material revelado pelo site “The Intercept Brasil”. O ex-juiz diz, ainda, que conversas podem ter sido adulteradas.

“Não houve quebra da imparcialidade. São comuns essas conversas”, disse Moro, ao ler trechos de textos de juristas que defendem a normalidade de conversas entre juízes e procuradores, delegados, policiais, advogados, etc.

Sérgio Moro disse, ainda, não ter mais o aplicativo de mensagens em seu celular. “Eu saí do Telegram em 2017. Essas mensagens não ficam nas nuvens. Eu saindo do aplicativo, essas mensagens foram excluídas. Se tivesse esse material, o hacker já teria apresentado. Se tivesse isso no Telegram, o hacker teria obtido essas informações.”

Ontem, o site divulgou novos trechos das supostas conversas, nos quais o então juiz da Lava Jato questiona o procurador sobre uma investigação envolvendo o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. A

Aloma Carvalho