Mobilização Nacional da Lei Seca aborda 19 mil motoristas

abril 18, 2018 /

 

Edição em 15 estados do Brasil superou anos anteriores em apreensões

 Os números desta quinta edição da Mobilização Nacional bateu o recorde das edições anteriores. Participaram da ação 2.613 agentes, entre PMs, PRFs, agentes de trânsito e guardas municipais, espalhados pelo Brasil. Ao todo, foram recolhidos 2.326 documentos (CNH e CRLV), 1.144 veículos foram removidos para depósito e 260 prisões efetuadas. As blitzes foram realizadas em  pontos estratégicos em todo o país. Nas Rodovias Federais, as operações foram promovidas pela PRF.

Para o coordenador da Operação Lei Seca do Rio de Janeiro, tenente-coronel Marco Andrade, a ação deste sábado (14/4) superou o sucesso das anteriores e vem cada vez mais integrando as operações do país.

– Nosso objetivo é chamar cada vez mais a atenção da sociedade brasileira sobre os riscos de beber e dirigir.  A Lei Seca tem a missão de provocar mudanças de comportamento na sociedade. E, além de conscientizar os motoristas, e toda população, temos um objetivo comum, que é a redução de perdas irreparáveis decorrentes dos acidentes de trânsito em consequência dessa mistura letal do álcool e direção – disse o coordenador da operação fluminense.

Estatísticas

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o trânsito mata 47 mil pessoas por ano no Brasil e deixa 400 mil com alguma sequela. Estes dados colocam o Brasil em 4º lugar no ranking de acidentes nas Américas, atrás da República Dominicana, Belize e Venezuela. Um estudo desenvolvido pelo Centro de Pesquisa e Economia do Seguro (CPES), da Escola Nacional de Seguros, apontou que a Lei Seca salvou 41 mil vidas desde 2008 e poupou ao país mais de R$ 550 bilhões, ao evitar perda de produto e renda. A Mobilização Nacional foi idealizada com o objetivo de reforçar a necessidade de mudanças de hábitos que geram maior segurança no trânsito.

Foto: Clarice Castro

Paulo Cézar

PAULO CEZAR PEREIRA, também chamado de PC ou Paulinho da Baixada, aprendeu jornalismo nas redações de alguns principais veículos – rádios,jornais e revistas. Conheceu, como Repórter Especial do GLOBO, praticamente todos os estados brasileiros, as duas antigas Alemanhas antes da reunificação, Suiça, Austria, Portugal, França, Itália, Bélgica, Senegal, Venezuela, Panamá, Colômbia e a Costa Rica. É casado com Ana Maria e tem três filhas que já lhe deram cinco netos. Tem três paixões: a família, o jornalismo e o Flamengo. No passado, assessorou um governador, um senador, dois prefeitos e vários deputados. Comandou a área de Comunicação de Nova Iguaçu num total de 12 anos. Já produziu três livros : um para a Coleção Tiradentes, outro contando a evolução de Nova Iguaçu quando a cidade completou 170 anos, e o do jubileu de ouro da Diocese de Nova Iguaçu.