Ministro da Educação explica corte de verbas das universidades

maio 15, 2019 /

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, está nesse momento na Câmara dos Deputados para prestar esclarecimentos sobre o contingenciamento de verbas das universidades federais. O debate ocorre no mesmo dia em que estudantes e professores de todos os níveis de ensino organizam protestos e fazem paralisação em todo o país. A convocação foi um pedido do deputado Orlando Silva (PCdoB-SP). 307 deputados aprovaram o chamamento, incluindo filiados a partidos do Centrão. Apenas o PSL, de Jair Bolsonaro, e o Novo foram contra, somando 82 votos.

Em sua apresentação, o ministro disse que estava na cas apara esclarecer “uma série de informações que foram distorcidas e estão gerando um mal estar na sociedade”. E afirmou: o contingenciamento visa cumprir a Lei de Responsabilidade Fiscal e a prioridade do governo é o ensino básico, fundamental e técnico.

De acordo com Abraham Weintraub, a prioridade do governo é o ensino básico, fundamental e técnico. Para ele, governo da presidente Dilma Rousseff é responsável pelo bloqueio das verbas das universidades. “Não somos responsáveis pelo contingenciamento atual. Este governo, que tem quatro meses, não é responsável pela situação”, disse.

Sobre os bloqueios no orçamento das universidades, Weintraub afirmou que o ensino superior é uma área onde o país “está, entre aspas, bem”. “Não estou querendo diminuir o ensino superior. Ao que a gente se propõe? Cumprir o plano de governo que foi apresentado. Prioridade é ensino básico, fundamental, técnico”, disse.

Aloma Carvalho