Ministério Público investiga supersalários de Waguinho, prefeito de Belford Roxo

junho 18, 2019 /

Uma matéria veiculada na Globo News no início da tarde desta terça-feira (18), revelou que o prefeito de Belford Roxo Wagner Carneiro dos santos, o Waguinho, ganhou mais de R$ 185 mil em dois meses e meio. Em abril, Waguinho foi afastado do cargo acusado de corrupção, mas voltou a assumir a prefeitura na última quinta-feira (13).

Em dezembro de 2016, o salário do prefeito do município era de R$ 11.250, de acordo com a publicação no diário oficinal no dia 21 do mesmo mês. Waguinho, ao assumir a Prefeitura, alegando corte de gastos decidiu diminuir o salário para R$ 8 mil, como publicado nos atos oficiais do dia 17 de abril de 2017.

Porém, documentos internos da Prefeitura de Belford Roxo revelam uma realidade diferente entre março e maio de 2019, foram realizados 5 depósitos identificados como pagamento salário e remuneração salário. Só em março, mês anterior ao seu afastamento do cargo, Wagner Carneiro recebeu 3 depósitos que somados dão quase R$ 100 mil. Já em abril, R$ 70 mil. E maio, quando já havia sido afastado, foram depositados R$ 80 mil na conta do prefeito.

 

O Outro lado

Eis a nota enviada ao  Nova Iguassu Online pela Prefeitura:

A Prefeitura de Belford Roxo informa que de 1º de fevereiro de 2017 a 17 de abril de 2018, o subsídio do prefeito Wagner dos Santos Carneiro, o Waguinho, deveria ser de R$ 24 mil, porém, a Secretaria de Administração pagava R$ 11.250,00. 

De 18 de abril de 2018 a 18 de maio de 2018, o subsídio era de R$ 8 mil, valor que foi pago corretamente pela Secretaria de Administração.

De 19 de maio de 2018 a 31 de janeiro de 2019 o subsídio voltou a ser de R$ 24 mil, mas a Secretaria de Administração pagou R$ 8 mil. Os pagamentos a menor ocorreram em razão de uma interpretação equivocada da legislação pela Secretaria de Administração.

As parcelas das diferenças de subsídio serão pagas ao prefeito enquanto houver saldo no processo, na medida da possibilidade do município.

O Ministério Público do Rio de Janeiro está investigando o caso. Enquanto isso, servidores municipais alegam não ter recebido o 13º salário de 2019.

Aloma Carvalho