Manifestantes pró Bolsonaro atacam Supremo, o Congresso e defendem pacote anticrime de Moro e a reforma da Previdência em 51 cidades

maio 26, 2019 /

 Simpatizantes do governo Bolsonaro, em manifestação hoje pela manhã em Copacabana , no Rio, em 11 estados, no Distrito Federal e em  51 cidades atentaram contra a democracia brasileira: pediram o fechamento do Congresso Nacional e do Supremo Tribunal Federal (STF). Com discursos carregados de ódio, os oradores mais radicais faziam apelo às Forças Armadas para que interviessem no processo político e fechassem às instituições que garantem o estado democrático de direito.

A catilinária era mesma da manifestação de ontem na frente da residência do presidente de Câmara, Rodrigo Maia, em São Conrado: palavras de ordem contra as liberdades democráticas e apoio às ações do ministro Sérgio Moro no combate ao crime e à corrupção. Numa clara demonstração de que Rodrigo Maia era um dos alvos centrais da manifestação, os ativistas pró-Bolsonaro exibiram um boneco do presidente da Câmara, em torno do qual bradavam agressões políticas e morais ao parlamentar. No boneco, expressões pejorativas: “Judas” e “171” e imagens das empresas Odebrecht e Gol, em referência às citações de Maia em delações premiadas.

A radicalização deste grupos fez o presidente Bolsonaro se pronunciar em um culto religioso, dizendo que o protesto respeitou as instituições. No entanto, Bolsonaro reforçou as acusações à classe política ao afirmar que os protestos são um recado aos que “teimam com velhas práticas e não permitem que o povo se liberte”. 

Vários carros de som se concentraram em dois pontos: na altura do Posto 5 e em frente à Rua Xavier da Silveira. No início do ato, o Hino Nacional foi tocado e cantado. Houve queima de fogos.

A estimativa de número de participantes não foi divulgada pelos manifestantes nem pela Polícia Militar. O ato se espalhou da Rua Sá Ferreira até perto da Rua Barão de Ipanema – cerca de 650 metros. Alguns trechos concentraram mais gente e outros ficaram mais vazios.

A maior parte dos manifestantes veste verde e amarelo e muitos seguram bandeiras do Brasil. Em faixas e no carro de som, os participantes pedem a aprovação da reforma da Previdência e do pacote anticrime. A frase “Brasil acima de tudo”, lema do presidente, foi gritada em coro.
Dois bonecos de cerca de 5 metros de altura foram inflados no ato: um do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e outro do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

 

Paulo Cézar

PAULO CEZAR PEREIRA, também chamado de PC ou Paulinho da Baixada, aprendeu jornalismo nas redações de alguns principais veículos – rádios,jornais e revistas. Conheceu, como Repórter Especial do GLOBO, praticamente todos os estados brasileiros, as duas antigas Alemanhas antes da reunificação, Suiça, Austria, Portugal, França, Itália, Bélgica, Senegal, Venezuela, Panamá, Colômbia e a Costa Rica. É casado com Ana Maria e tem três filhas que já lhe deram cinco netos. Tem três paixões: a família, o jornalismo e o Flamengo. No passado, assessorou um governador, um senador, dois prefeitos e vários deputados. Comandou a área de Comunicação de Nova Iguaçu num total de 12 anos. Já produziu três livros : um para a Coleção Tiradentes, outro contando a evolução de Nova Iguaçu quando a cidade completou 170 anos, e o do jubileu de ouro da Diocese de Nova Iguaçu.