Lei Seca registra queda de 56% de alcoolizados neste Verão

março 17, 2019 /

Iniciada no dia 10 de janeiro e encerrada nesta semana, a Operação Verão da Lei Seca constatou uma redução em 56,39% de motoristas alcoolizados nas blitzes diurnas com relação ao registrado no ano passado. O número de condutores que apresentaram sinais de embriaguez caiu de 1.362 em 2018 para 768 neste ano nas operações durante o verão. Esta redução é resultado de um aumento da conscientização da população em evitar a combinação de álcool e direção também no período diurno. A queda trouxe, também, reflexos no percentual de habilitações recolhidas, veículos multados e rebocados.

A Operação Verão 2019 realizou 116 ações, abordou 15.065 veículos, gerou 4.035 multas e detectou 768 casos de alcoolemia. No total, 555 automóveis foram rebocados e 766 Carteiras de Habilitações foram recolhidas. A Operação Verão é realizada pelo quinto ano consecutivo e tem como objetivo realizar blitzes diurnas de fiscalização e conscientização nas principais áreas de lazer de todo o Estado do Rio de Janeiro.

A Coordenadora da Operação Lei Seca, Veronica de Oliveira afirma que o trabalho de fiscalização e educação nestes quase dez anos está levando a sociedade a rever o seu comportamento com relação à mistura de álcool e direção.

– Acredito que o endurecimento na Lei e a intensificação das ações fiscalizatórias e educativas estão criando um novo hábito na sociedade fluminense de não misturar mais álcool e direção, tanto que reduzimos em 56% o número de motoristas flagrados dirigindo sob influência de álcool comparado ao ano passado. Resultados como esse nos dão a certeza que estamos no caminho certo, – comemora Verônica.

Na análise sobre as blitzes, que tiveram como foco a verificação de motoristas na saída de locais de lazer como praias e cachoeiras, constatou-se que o índice de motoristas alcoolizados nas fiscalizações diurnas ainda é maior do que nas fiscalizações noturnas regulares. O percentual de motoristas dirigindo sob influência de álcool de dia foi de 5,09% em relação ao total de abordagens enquanto à noite foram de 2,84%.

– As atividades de lazer no verão acabam levando a um maior consumo de álcool, mas é preciso que os motoristas se conscientizem de que os riscos da mistura do álcool e direção não têm hora. Ele é o mesmo de dia ou à noite – disse o Superintendente das Operações da Secretaria de Governo, Major Carlos Eduardo Falconi.

O Brasil é considerado o 4º país com mais mortes de trânsito no mundo, por isso a necessidade em intensificar as operações de fiscalização e também preventivas, com ações pedagógicas, palestras e depoimentos de pessoas vítimas de acidentes de trânsito.

Aloma Carvalho