Eurico Miranda, ex-presidente do Vasco, morre aos 74 anos

março 12, 2019 /

Dirigente não resistiu à batalha contra câncer no cérebro

Morreu nesta terça-feira (12), aos 74 anos, Eurico Miranda. O ex-presidente do Vasco lutava contra um de câncer no cérebro. O treino do time profissional marcado para a tarde de hoje, em São Januário, foi cancelado.

Atualmente, Eurico estava no cargo de presidente do Conselho de Beneméritos do clube. Mas, nos últimos meses, não fazia aparições públicas, pois seu estado de saúde havia se agravado. Por conta disso, a família montou uma UTI em casa, com home care, enfermeiras se revezando para cuidar da saúde do dirigente. E na manhã desta terça-feira foi levado a um hospital na Barra da Tijuca, mas não resistiu. Ele deixa quatro filho.

História

Eurico Miranda foi presidente do Vasco entre de 2003 a 2008, e 2015 a 2017. Também foi vice-presidente de futebol do clube de 1990 e 2002, com participação nos períodos de maiores conquistas do clube, como o Campeonato Brasileiro de 1997, a Copa Libertadores de 1998, a Copa João Havelange de 2000 e a Copa Mercosul de 2000.

Polêmicas marcaram seu tempo como dirigente: desde os tempos de vice-presidente de patrimônio, em 1969, quando desligou a luz elétrica do clube para tentar evitar a cassação do então presidente Reinaldo Reis; em 1980, já como diretor de futebol, ajudou o Vasco a evitar a ida de Roberto Dinamite para o Flamengo.

De 1986 a 2001, atuou como vice de futebol, sob a presidência de Antônio Soares Calçada, período no qual também teve dois mandatos como deputado federal. Ainda se tornou um dos protagonistas do dia da tragédia ocorrida em São Januário, com a queda do alambrado, na final da Copa João Havelange contra o São Caetano.

Em 2001, a CPI do Futebol descobriu que o dublê de cartola e político usou “laranjas” para receber recursos que saíam da Vasco da Gama Licenciamentos (VGL), mas Eurico não teve seu mandato cassado. Em 2004, Eurico recebeu uma condenação judicial por agressão a um jornalista depois de não gostar de uma pergunta referente à provocação feita antes da derrota para o rival na decisão do Carioca daquele ano.

Em 2008, a eleição que daria a Eurico Miranda mais um mandato como presidente do Vasco foi cancelada e Roberto Dinamite venceu o segundo pleito. Foi o ano em que o clube teve o primeiro rebaixamento de sua história no Campeonato Brasileiro. Logo, Miranda voltou à presidência em dezembro de 2014.

Em 2017, mais uma eleição confusa. A Justiça anulou o pleito vencido por Eurico por fraude na urna 7 e deu a vitória a Júlio Brant. Em novo round, desta vez no Conselho, Eurico e Roberto Monteiro se aliaram a Alexandre Campello, para derrotar Julio Brant no dia 20 de janeiro de 2018. Foi a última grande prova de poder de um dos principais nomes da história do Vasco.

Aloma Carvalho