Em alta, violência contra mulheres na Baixada volta a ser debatida neste sábado (26) em Nova Iguaçu

outubro 22, 2019 /


     A violência contra mulheres nas cidades da Baixada, onde já foi registrado oito casos de feminicídios este ano, é a pauta principal do projeto Peito Aberto/ Salve uma Mulher, sábado próximo (26/10), das 9 às 16 horas, no auditório do hotel Mercure, no Centro de Nova Iguaçu. O evento, organizado pela advogada Raquel Stasiaki, tem o o apoio de diversas entidades e  terá a participação da delegada Mônica Areal, da Delegacia de Atendimento à Mulher, uma policial sempre envolvida em investigações que já levaram dezenas de agressores às prisões. Mônica será uma das palestrantes. O evento é gratuito.

Delegada Mônica Areal vai ser uma das palestrantes do evento

 

Baixada Fluminense registra oito casos de feminicídios este ano

 

Moysés afirmou que delegados passaram recentemente por uma formação sobre a investigação de feminicídio e que a polícia vai oficializar um protocolo a respeito. O coronel da Polícia Militar Márcio Oliveira Rocha, do Centro de Controle Operacional da corporação, também presente à audiência, informou que a violência doméstica está entre os três códigos de ocorrência mais frequentes do recebimento de chamadas pela Central 190. Segundo ele, esse serviço também passará por uma reestruturação nos próximos meses para melhorar a integração entre as chamadas e o atendimento das demandas.

 

Os dados do Dossiê Mulher divulgados pelo Instituto de Segurança Pública do Rio mostram que a cada cinco dias uma mulher é vítima de feminicídio no estado.  Em 2018, 71 mulheres foram vítimas deste tipo de crime no Rio: 56% dos crimes foram cometidos pelos companheiros ou ex-companheiros. As mulheres são também as maiores vítimas dos crimes patrimoniais, lesão corporal dolosa e ameaças de morte.

foto: Paulo Cezar Pereira

 

Paulo Cézar

PAULO CEZAR PEREIRA, também chamado de PC ou Paulinho da Baixada, aprendeu jornalismo nas redações de alguns principais veículos – rádios,jornais e revistas. Conheceu, como Repórter Especial do GLOBO, praticamente todos os estados brasileiros, as duas antigas Alemanhas antes da reunificação, Suiça, Austria, Portugal, França, Itália, Bélgica, Senegal, Venezuela, Panamá, Colômbia e a Costa Rica. É casado com Ana Maria e tem três filhas que já lhe deram cinco netos. Tem três paixões: a família, o jornalismo e o Flamengo. No passado, assessorou um governador, um senador, dois prefeitos e vários deputados. Comandou a área de Comunicação de Nova Iguaçu num total de 12 anos. Já produziu três livros : um para a Coleção Tiradentes, outro contando a evolução de Nova Iguaçu quando a cidade completou 170 anos, e o do jubileu de ouro da Diocese de Nova Iguaçu.