Deputados suplentes são empossados na Alerj

março 26, 2019 /

Dois deputados suplentes foram empossados nesta terça-feira (26/03) na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj). Sérgio Louback (PSC) e Sérgio Fernandes (PDT) assinaram o livro de posse e prestaram compromisso no microfone, no início da sessão plenária, e já participaram das votações de propostas e vetos a projetos de lei ocorridas durante a tarde.

Os parlamentares são os primeiros suplentes de seus partidos, convocados na última segunda-feira (25/03) para assumir seus mandatos no lugar de Chiquinho da Mangueira (PSC) e Luiz Martins (PDT), que estão afastados por decisão judicial.

Perfis 
(clique no nome para ver a foto)

Sergio Fernandes tem 38 anos e é advogado. Foi secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Social e presidente da Fundação Leão XIII.  Sérgio Fernandes pretende atuar na fiscalização de gastos públicos e pela melhoria da qualidade da educação no Estado. Ele recebeu 33.302 votos nas eleições de 2018.

Sergio Louback tem 55 anos e se licenciou do cargo de vereador no município de Nova Friburgo, na região Serrana, para assumir o mandato na Alerj. Louback pretende fazer a intermediação entre o Estado e os municípios do interior, buscando melhorias na infraestrutura e turismo.

 

 

 

 

 

Paulo Cézar

PAULO CEZAR PEREIRA, também chamado de PC ou Paulinho da Baixada, aprendeu jornalismo nas redações de alguns principais veículos – rádios,jornais e revistas. Conheceu, como Repórter Especial do GLOBO, praticamente todos os estados brasileiros, as duas antigas Alemanhas antes da reunificação, Suiça, Austria, Portugal, França, Itália, Bélgica, Senegal, Venezuela, Panamá, Colômbia e a Costa Rica. É casado com Ana Maria e tem três filhas que já lhe deram cinco netos. Tem três paixões: a família, o jornalismo e o Flamengo. No passado, assessorou um governador, um senador, dois prefeitos e vários deputados. Comandou a área de Comunicação de Nova Iguaçu num total de 12 anos. Já produziu três livros : um para a Coleção Tiradentes, outro contando a evolução de Nova Iguaçu quando a cidade completou 170 anos, e o do jubileu de ouro da Diocese de Nova Iguaçu.