Corpo de Bombeiros RJ recebe novas viaturas e equipamentos operacionais

agosto 1, 2019 /

 

Durante a cerimônia, também foi lançado o Anuário 2018 da corporação

 

O governador Wilson Witzel participou, nesta quarta-feira (31/7), da entrega de novas viaturas e equipamentos operacionais para o Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro (CBMERJ), no Complexo de Ensino e Instrução Coronel Sarmento (CEICS), em Guadalupe. Entre os itens entregues estão 72 viaturas, 70 macas-prancha, 10 motobombas, 1.100 capacetes de combate a incêndio,  dois botes infláveis e 360 equipamentos de proteção respiratória.

 

As aquisições, que somam mais de R$ 22 milhões, são frutos de investimentos dos recursos da taxa de incêndio e do Gabinete de Intervenção Federal (GIF). 

– É importante termos áreas do estado equipadas, não necessariamente somente com homens, mas com equipamentos também. Estamos mobiliando nossas unidades para dar maior agilidade ao Corpo de Bombeiros no combate aos incêndios, principalmente nas áreas mais secas, como no caso do Noroeste Fluminense. É importante também ressaltar que esses materiais foram adquiridos com a taxa de incêndio, um recurso extra que entra nos cofres do Corpo de Bombeiros. É um fundo auditado pelo Tribunal de Contas e, no nosso governo, tem sido muito bem empregado – destacou o governador Wilson Witzel.

De acordo com o secretário de Estado de Defesa Civil e comandante-geral do CBMERJ, coronel Roberto Robadey Jr., a inovação já é uma marca da corporação.

– Nossos equipamentos são selecionados por uma comissão do Estado-Maior Geral. Essas aquisições tendem sempre a acompanhar os itens que atendem as melhores corporações do mundo. É o caso do capacete. Essa é segunda geração do mais moderno do mundo, usado na França, por exemplo. Além de proteger e dar segurança à tropa, essa peça é um motivo de orgulho para todos os bombeiros – destacou.

 

Anuário 2018 – Encerrando o mês de comemoração ao Dia Nacional do Bombeiro e aos 163 anos do CBMERJ, a solenidade também marcou o lançamento da 3ª edição do Anuário da corporação. A publicação é um balanço dos serviços prestados em 2018, com o registro de socorros realizados, números relacionados ao efetivo e aos materiais empregados no dia a dia da instituição, além de dados da área técnica, do sistema de ensino e instrução e de atividades culturais.

 

Abaixo, seguem alguns dados do Anuário:

 

– Em 2018, 310.090 atendimentos foram realizados pelo Corpo de Bombeiros RJ no Estado, uma média de 861 por dia;

 

– As viaturas operacionais percorreram 4.337.700 km, o equivalente a 11 viagens à lua ou 1.039 vezes o trajeto do Oiapoque ao Chuí;

 

– As aeronaves da corporação somaram 826 horas no ar em atividades de resgate. Ao todo, o Grupamento de Operações Aéreas (GOA) prestou socorro a 538 pessoas. Oitenta e três (83) voos foram realizados para transporte de órgãos e tecidos no Estado para fins de transplante;

 

– O serviço de salvamento marítimo atendeu mais de 25 mil vítimas no território fluminense. Janeiro foi o mês que registrou maior demanda, cerca de 250 eventos por dia; 

 

– Das 58 mil vítimas de trânsito assistidas pelos bombeiros em 2018, 24 mil estavam pilotando motocicletas. 

 

Para informações adicionais sobre atuação do Corpo de Bombeiros RJ,  a corporação disponibiliza o link do Anuário no site: http://www.cbmerj.rj.gov.br/anuario  

Fotos: Nelson Perez

Paulo Cézar

PAULO CEZAR PEREIRA, também chamado de PC ou Paulinho da Baixada, aprendeu jornalismo nas redações de alguns principais veículos – rádios,jornais e revistas. Conheceu, como Repórter Especial do GLOBO, praticamente todos os estados brasileiros, as duas antigas Alemanhas antes da reunificação, Suiça, Austria, Portugal, França, Itália, Bélgica, Senegal, Venezuela, Panamá, Colômbia e a Costa Rica. É casado com Ana Maria e tem três filhas que já lhe deram cinco netos. Tem três paixões: a família, o jornalismo e o Flamengo. No passado, assessorou um governador, um senador, dois prefeitos e vários deputados. Comandou a área de Comunicação de Nova Iguaçu num total de 12 anos. Já produziu três livros : um para a Coleção Tiradentes, outro contando a evolução de Nova Iguaçu quando a cidade completou 170 anos, e o do jubileu de ouro da Diocese de Nova Iguaçu.