Populações das cidades que dragam rios, valas e valões são as menos castigadas pelas chuvas na Baixada

abril 9, 2019 /

As fortes chuvas que caem desde ontem na Região Metropolitana do Estado do Rio de Janeiro, deixando sete mortos na capital, um rastro de destruição e provocando o caos em bairros da Zona Sul e Oeste do Rio, desta vez causaram menos problemas em algumas cidades da Baixada Fluminense. Nova Iguaçu, Seropédica, Japeri e Belford Roxo também estão com problemas, mas não na dimensão do Rio, uma cidade cuja topografia e a omissão do poder público provocaram mais uma tragédia. E não se pode culpar apenas a quantidade de milimetros da chuva.

A verdade é que a atual administração do Rio é ineficeiente, seu prefeito não tem o hábito de mandar limpar os bueiros e não investe em políticas públicas de contenção de encostas, ações fundamentais para evitar tragédias que se repetem a cada temporal.

Em Seropédica, por exemplo, o burgomestre Anabal Barbosa não perde o hábito de conferir, pessoalmente, a limpeza das ruas. quase diariamente. De dois anos para cá, Anabal determinou, com recursos próprios, a dragagem de quase uma dezena de rios, valões e valas que cortam o municípios. Quando Marcello Alencar governou o Rio, Anabal conseguiu dragar até mesmo o Rio dos Bois com equipamentos pesados. Choveu muito em Seropédica, mas lá o prefeito cuida da infraestrutura todos os dias, mesmo com um orçamento de município pobre.

As Prefeituras de Seropédica ( foto acima, em destaque) e de Jaṕeri fazem a prevenção dragando rios e valões

Seropédica contratou , dois anos atrás, 15 máquinas para manter os rios e valões limpos e o serviço, terceirizado, é pago por hora de trabalho de cada máquina.

Em Nova Iguaçu, cortada pelos rios Botas , Maxambomba e Iguaçu, o prefeito Rogério Lisboa teve problemas nos bairros Mariléa ( região e Austin) e nas comunidades localizadas ao longo do corredor da Estrada de Madureira, notadamente Ouro Preto e nos bairros do KM 32 e os que margeiam a antiga Rio-São Paulo, onde a disponibilidade de saneamento baśico ainda é precário. A  Defesa Civil registrou até o momento, sete ocorrências, sendo uma queda de árvore, no bairro Jardim da Viga, alagamento, no Km 32, três  ameaças de desabamento, nos bairros Valverde, Jardim Esplanada e Comendador Soares e duas quedas de muro, em Austin e Marapicu. Não houve feridos. Em Prados Verdes, na divisa com Seropédica, uma maẽ e dois filhos adultos ficaram desabrigados pelas fortes chuvas. Rogério Lisboa informou ao Nova Iguassu Online que a Prefeitura dará toda assistência à família.

As aulas na rede municipal de educação não foram suspensas, entretanto, alguns alunos e funcionários tiveram dificuldades de chegar em algumas unidades por conta da chuva.

A cidade está em estágio de alerta.

Em Belford Roxo, o bairro de Heliópolis, onde morou por muitos anos o atual prefeito da cidade, foi o mais castigado, mas também não houve o registro

Ao contrário da capital fluminense, onde houve registro de desabamentos e mortes, o município de Japeri resistiu e bem ao temporal que castigou a Região Metropolitana nas últimas horas.

A Defesa Civil municipal não registrou ocorrência de grande vulto, desde a tarde de terça-feira. Houve pequenos alagamentos temporários em alguns bairros, sem maiores transtornos à população.

Na rede municipal de ensino, apenas quatro estabelecimentos – Ciep 401, São Jorge, Creche Janderson e Santo Antônio -, das 34 escolas suspenderam as aulas na parte da manhã por falta de servidores, moradores em outros municípios, que não conseguiram chegar ao local de trabalho por causa das chuvas.

A Prefeitura de Japeri dragou o Rio Sarandi

O secretário de Defesa Civil, Ernane Rodrigues Alves, lembrou que desde 2017 a Prefeitura vem realizando trabalho de prevenção no município.

 “A Secretaria Municipal de Obras vem intensificando o trabalho de limpeza e desassoreamento de rios, canais, valões e bueiros, e que contou também com apoio do projeto Limpa Rio, do Instituto Estadual do Ambiente (Inea)”, disse Ernane Alves.

O secretário lembrou que o trabalho de prevenção visa, sobretudo, o canal Teófilo Cunha e os rios dos Poços, D’Ouro, Santana, Santo Antônio e São Pedro.

O prefeito em exercício, Cezar Melo, voltou a pedir à população que colabore com o governo municipal, evitando jogar lixo, animais, sofá, geladeira e outros tipos de eletrodomésticos no leito dos rios e valões da cidade. “Vamos manter os rios limpos para evitar futuros transtornos”, conclamou.

 

fotos: Samuel Barbosa (/Divulgação/Seropédica), Marcos Brito e Anderson PQD ( Divulgação/Japeri)