Na Flórida ( EUA), Rogério Lisboa está longe da urina do rato de Nova Brasília e dos fornecedores da Prefeitura de Nova Iguaçu

maio 1, 2019 /

A conta não está fechando na administração dos recursos de mais de R$ 1,3 bilhão do orçamento deste ano da Prefeitura de Nova Iguaçu. E não é só agora que o prefeito Rogério Lisboa começa a ter que explicar a  falta de dinheiro para o pagamento de aposentados e inativos, que não receberam o mês de abril, pago somente aos servidores ativos e  comissionados na véspera do feriado de 1º de Maio. Lisboa, com autorização da Câmara de Vereadores, está na Flórida, desde o último dia 25 . Ele comunicou seu afastamento através de uma Portaria em que transfere poderes ao vice-prefeito, mas não não informou os motivos da viagem aos Estados Unidos, de  onde só retornará no próximo dia 14. A ausência de Rogério Lisboa não preocupa apenas os moradores do Nova Brasília, um bairro muito pobre da periferia, onde uma criança morreu de leptospirose esta semana. Quem mora lá está preocupado com  a urina a urina de rato. Os fornecedores da Prefeitura também cobram explicações. Não das ações que os administradores de Nova Iguaçu precisam tomar com urgência em Nova Brasília, mas com o sumiço do dinheiro que o governo comandado por Rogério Lisboa deixou de lhes pagar. É o caso, por exemplo, das empresas Avaí 2010 e Máxima Indústria de Calçados.  Em maio do ano passado, disputando com 27 outras , elas ganharam , oferecendo 20% de desconto, duas concorrências que somaram R$ 11 milhões. Entregaram  à Prefeitura, em julho e agosto de 2018, 67 mil peças de uniformes e de pares de tênis para os alunos da rede pública municipal. Do total contratado, para ser pago com recursos do Fundeb, as duas empresas só receberam R$ 5 milhões até hoje. O restante caiu em “restos a pagar” no encerramento do ano fiscal. O que causa estranheza a  todos, menos aos Vereadores que deveriam fiscalizar a aplicação de recursos públicos,  é o fato de o governo federal, através do Fundo de Desenvolvimento da Educação (FNDE), ter repassado no ano passado R$ 237.789,244,35 do Fundeb para o município de Nova Iguaçu pagar despesas exclusivas dos 65.399 alunos da educação básica. Os fornecedores tem cercado o prefeito no Paço Municipal para cobrar o dinheiro que administração lhes deve, mas Rogério Lisboa dribla os empresários entrando e saindo de seu gabinete, de carro, pela garagem à qual poucos tem acesso. Como o dinheiro do Fundeb é carimbado, ou seja, exclusivo para pagamentos de despesas da Educação, a cidade quer saber do Prefeito por que as empresas até hoje não receberam o restante, cerca de $ 6 milhões, pelo fornecimento do kit escolar. E mais: se existe um contrato ainda não liquidado, como o prefeito fará para uniformizar os alunos que entraram para a rede pública este ano, já que não pode aditivar um contrato que está deixando de pagar ? Com a palavra, o prefeito de Nova Iguaçu.