Cristina Quaresma, a ”Secretária do Povo”, assume o comando estadual do Desenvolvimento Social e Direitos Humanos

agosto 5, 2019 /

Cristina Quaresma, atualmente secretária municipal em Mesquita,  acaba de me informar que aceitou o convite do governador Wilson Witzel para substituir Fabiana Bentes no cargo de secretária estadual de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos.

Nascida e criada em Nova Iguaçu, ela esteve hoje com o governador Wilson Witzel no Palácio Guanabara para uma reunião  de trabalho  antes de sua nomeação no Diário Oficial, prevista para amanhã (06/07). Witzel anunciará amanhã, através de um vídeo que será postado nas redes sociais, o nome de Cristina, ao lado dela.

A notícia é para ser comemorada por todos que tem responsabilidade social.

Os Quaresmas são da época dos laranjais de Nova Iguaçu e são nomes de ruas na área nobre da cidade.  Cristina, aluna do Iesa durante mais de uma década, é mais do que uma professora, mãe e avó. Ela tem o que os políticos chamam de “o cheiro do povo”, frequenta todos os ambientes da cidade e é uma mulher respeitada pelo que faz e pelo que diz. Entende de gestão e trabalha sem parar se a causa for nobre.

Trabalhei com ela ao longo de três mandatos populares de Nelson Bornier em Nova Iguaçu. Ela cuidando do que mais sabe fazer, atendendo o povo mais necessitado, gente que ela, pessoalmente, retirava debaixo de marquises e das das  praças, eu atendendo a os veículos de Comunicação. Talvez, por isso, ela  nunca foi candidata a vereadora ou a prefeita de Nova Iguaçu, embora gostasse da idéia e tivesse um batalhão de mulheres e homens de sua Pasta motivado para elegê-la.  Os que estiveram no poder tinham medo de Cristina ganhar a eleição. Ela, que cuidou também da área social em Queimados, entende de povo, de gente humilde, não é  demagoga.

Seus principais parceiros foram as igrejas católicas e evangélicas, as entidades sérias que trabalham com o social, estudantes, professoras, assistentes sociais, mas sobretudo o povo mais humilde da Baixada, famílias que batiam à sua porta na esperança de ganhar um treto no programa Minha Casa, minha vida.  Ela não foge da raia quando o assunto é pobreza e grita muito alto para defender o direito à vida, à dignidade, aos direitos fundamentais do ser humano.  Cristina não faz da defesa dos direitos humanos discurso político-partidário, não é de direita e nem de esquerda, é do povo. Por tudo isto,  a Baixada torce pelo sucesso da  “Secretária do Povo” no governo estadual.