Cornélio Ribeiro terá o apoio do general Hamilton Mourão na disputa pela prefeitura de Nova Iguaçu

agosto 3, 2020 /

*Paulo Cezar Pereira

 

 

O general Hamilton Mourão vai pedir votos em Nova Iguaçu para eleger o o empresário Cornélio Ribeiro prefeito da cidade nas eleições deste ano. Filiado ao PRTB, partido do vice-presidente da República, Cornélio já está em pré campanha para conquistar a prefeitura. Seu vice é o policial militar e vereador Marcelo Lajes, também do PRTB, cujo mandato na Câmara de Nova Iguaçu tem sido marcado por forte oposição ao prefeito Rogério Lisboa, do PP.

Ex-vereador, Cornélio elegeu-se pela primeira vez em 1988, pelo PMDB, quando o vice-governador Francisco Amaral  era o Interventor na Prefeitura de Nova Iguaçu após o afastamento de Paulo Leone (PFL) por improbidade administrativa. Depois foi deputado estadual e a seguir deputado federal pelo PDT de Leonel Brizola. Em 1996 disputou pelo PDT o cargo de prefeito de Nova Iguaçu, teve 66.240 votos ( 20,29% dos votos válidos) mas perdeu a eleição naquele ano para Nelson Bornier ( 56,56).

Cornélio, morador do bairro da Prata, na divisa com Belford Roxo, retomou sua atividade de empresário da construção civil na Baixada e nos últimos anos atuou na Região dos Lagos. Ele participou da campanha de amigos, como a do falecido prefeito Mário Marques, em 2004. Em 2012 Cornélio apoiou Bornier. Vitorioso na disputa com a professora Sheila Gama, Bornier não abriu espaço político para Cornélio tocar qualquer projeto eleitoral.

Em 2016 o nome de Cornélio era o preferido de muitos simpatizantes de Bornier, mas o prefeito optou por Thiago Portela, seu Secretário de Governo, para ser o seu companheiro de chapa. Desiludido, Cornélio assistiu de longe a derrota de Bornier para Rogério Lisboa.

O discurso de Cornélio está pronto para as eleições municipais deste ano em Nova Iguaçu. Ele vai se apresentar como um candidato anticorrupção e será um crítico das omissões do prefeito Rogério Lisboa, a começar pelo silêncio sobre o escândalo dos contratos emergenciais que deveriam resultar em dois hospitais que nunca foram utilizados pela população, especialmente pelos pacientes da Covid-19.

Montados no aeroclube da cidade, os dois hospitais já custaram mais de R$ 60 milhões aos cofres públicos e deveriam ser entregues ao município em abril. Na semana passada, o terceiro secretário estadual de saúde do governo Wilson Witzel, Alex Bousquet, anunciou que o hospital de campanha será desmontado, mesmo destino das unidades prometidas para pacientes do novo coronavírus em Duque de Caxias e em Nova Friburgo. Os dois hospitais de Nova Iguaçu foram anunciados por Rogério Lisboa como “parceria” com o governo do estado. Coube à prefeitura de Nova Iguaçu preparar a drenagem, o saneamento e asfaltar a área do aeroclube.

– É inadmissível o silêncio do prefeito de Nova Iguaçu sobre este escândalo de corrupção. Este e outros temas serão destacados na minha campanha – adiantou Cornélio Ribeiro depois de informar que o general Hamilton Mourão vai recebê-lo em Brasília após a convenção partidária, que será realizada remotamente por conta da pandemia, para gravar um depoimento para ser exibido nas redes sociais e no horário destinado à propaganda eleitoral obrigatória nas emissoras de televisão e de rádios. Em Nova Iguaçu, caberá à Rede Bandeirantes a transmissão da campanha eleitoral.

Além de se apresentar como o candidato que vai “combater a corrupção na Prefeitura de Nova Iguaçu”, Cornélio vai se dirigir à juventude com propostas que envolvem projetos para criação de empregos e renda. Ele dará prioridade à saúde pública, educação de qualidade e à segurança pública. Seu comitê central de campanha funcionará nas proximidades do Instituto de Educação, no Centro.

 * Paulo Cezar Pereira é Jornalista