Católicos da Baixada voltam a participar de missa presencial, mas com restrições

julho 5, 2020 /

Mesmo com restrições impostas como medidas preventivas à disseminação do novo coronavírus, os católicos da Baixada Fluminense voltaram hoje ( 05/07/2020) a participar da missa  dominical em todas as igrejas da região. Os que tem mais de 60 anos e , portanto, pertencem aos grupos de risco, estão sendo orientados a permanecerem em casa e a assistirem as missas on-line pela página da Diocese de Nova Iguaçu ou das dezenas de paróquias espalhadas pelas centenas de paróquias  de Nova Iguaçu, Nilópolis, Mesquita, Belford Roxo, Queimados, Japeri, Paracambi e pelo Distrito de Conrado ( Miguel Pereira).

 

O bispo da Diocese de Nova Iguaçu, Dom Gílson Andrade, presidiu a missa das 10 horas na catedral de Santo Antônio de Jacutinga.  Ele dedicou a missa às mais de 60 mil pessoas que morreram pela covid-19 no Brasil e fez uma prece para confortar as famílias das vítimas da doença., além de destacar o trabalho dos profissionais de saúde. Dom Gílson destacou também a ajuda dos dizimistas neste mês a eles dedicados pela igreja católica. O bispo explicou que os procedimentos para missas presenciais estão sendo testados e que o retorno à normalidade será gradual e seguro para não expor os fiéis ao vírus. Durante a missa, Dom Gílson homenageou o padre Paulo Machado, pároco da catedral, pelos 28 anos de sacerdócio.

 

O acesso à missa presencial foi por ordem de chegada e nem todos os bancos foram ocupados. Os fiéis usaram máscaras faciais e alcool gel, além de manterem distância de dois metros ao sentarem nos bancos. Na saída não houve aglomeração porque  os fiéis foram orientados a não deixarem a igreja de uma só vez. A cantina do café, ponto de encontro após as missas, ficou fechada e não foram distribuídos impressos com informações religiosas. No momento da comunhão, Dom Gílson e padre Paulo se dirigiram individualmente a cada fiel, que a recebeu na mão,  para que não houvesse aglomeração.

Fotos de Ana Maria Guidone Pereira

Paulo Cézar

PAULO CEZAR PEREIRA, também chamado de PC ou Paulinho da Baixada, aprendeu jornalismo nas redações de alguns principais veículos – rádios,jornais e revistas. Conheceu, como Repórter Especial do GLOBO, praticamente todos os estados brasileiros, as duas antigas Alemanhas antes da reunificação, Suiça, Austria, Portugal, França, Itália, Bélgica, Senegal, Venezuela, Panamá, Colômbia e a Costa Rica. É casado com Ana Maria e tem três filhas que já lhe deram cinco netos. Tem três paixões: a família, o jornalismo e o Flamengo. No passado, assessorou um governador, um senador, dois prefeitos e vários deputados. Comandou a área de Comunicação de Nova Iguaçu num total de 12 anos. Já produziu três livros : um para a Coleção Tiradentes, outro contando a evolução de Nova Iguaçu quando a cidade completou 170 anos, e o do jubileu de ouro da Diocese de Nova Iguaçu.