Bombeiros usam drones a partir de hoje na identificação de focos do mosquito da dengue

março 16, 2019 /

Sobrevoos serão feitos em áreas mapeadas com alto índice de proliferação do vetor

O combate ao Aedes aegypti ganha mais um importante aliado. A partir deste sábado (16/03), o Corpo de Bombeiros fará sobrevoos com a utilização de drones para a identificação de possíveis focos do vetor, como piscinas, caixas d’águas destampadas, terrenos baldios e áreas abandonadas com acúmulo de água limpa. A ação faz parte do Dia “D” da campanha “Atitude contra o Mosquito”, da Secretaria de Estado de Saúde.

– Com o auxílio dos drones, é possível fazer um mapeamento dos pontos sensíveis, com eventuais focos do mosquito. Fazemos fotos e filmagens, além do georeferenciamento da localidade. Em seguida, passamos o material para as equipes da Secretaria de Saúde, que estão em solo para que façam a inspeção dos locais – explicou o tenente-coronel Felipe Monteiro, coordenador do Setor de Veículos Aéreos não Tripulados (Covant) do Corpo de Bombeiros.

A corporação, junto com a equipe da Saúde, desenvolveu um calendário semanal de sobrevoos, de acordo com as áreas que mais apresentam índice de proliferação do Aedes aegypti, responsável pela transmissão de Chikungunya, Zika, Dengue e Febre Amarela. Os bairros de Madureira e Cascadura, na Zona Norte do Rio, e a cidade de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, serão as primeiras regiões sobrevoadas pelos drones.

Paulo Cézar

PAULO CEZAR PEREIRA, também chamado de PC ou Paulinho da Baixada, aprendeu jornalismo nas redações de alguns principais veículos – rádios,jornais e revistas. Conheceu, como Repórter Especial do GLOBO, praticamente todos os estados brasileiros, as duas antigas Alemanhas antes da reunificação, Suiça, Austria, Portugal, França, Itália, Bélgica, Senegal, Venezuela, Panamá, Colômbia e a Costa Rica. É casado com Ana Maria e tem três filhas que já lhe deram cinco netos. Tem três paixões: a família, o jornalismo e o Flamengo. No passado, assessorou um governador, um senador, dois prefeitos e vários deputados. Comandou a área de Comunicação de Nova Iguaçu num total de 12 anos. Já produziu três livros : um para a Coleção Tiradentes, outro contando a evolução de Nova Iguaçu quando a cidade completou 170 anos, e o do jubileu de ouro da Diocese de Nova Iguaçu.