ABI cobra de Witzel investigações que levem aos mandantes dos assassinatos de jornalistas em Maricá

junho 20, 2019 /

  Em Nota Oficial assinada pelo seu presidente, o jornalista Domingos Meirelles, A Associação Brasileira de Imprensa expressa repúdio e perplexidade com o assassinato do jornalista Romário da Silva Barros, fundador do site Lei Seca Maricá, baleado com três tiros na cabeça, na noite de terça-feira passada (18/6). . Eis a manifestação da ABI:

 “Não é crível que esta seja a segunda execução de jornalistas, em menos de um mês, no Município de Maricá, na Região Metropolitana do Rio de Janeiro. Robson Giorno, o primeiro a morrer, vítima de disparos dos ocupantes de um veículo Fiat Palio, era dono do Jornal O Maricá. A ABI entende que assassinatos e agressões contra jornalistas, seja qual for a sua natureza, representam grave ameaça à liberdade de imprensa e ao Estado Democrático de Direito. As duas execuções se revestem de uma significação ainda mais brutal por terem sido praticadas no mesmo município, num curto espaço de tempo. O Governo do Estado do Rio de Janeiro tem o dever de investigar e identificar rapidamente os responsáveis por essas duas execuções sob pena de conivência com a espiral de violência que se apossou da região onde ocorreram os assassinatos. O Governador Wilson Witzel, como ex-juiz criminal, tem ainda o compromisso moral de impedir que essas duas mortes fiquem impunes. Sua Excelência precisa acelerar as investigações para que os autores e mandantes desses crimes sejam presos e submetidos aos rigores da lei.”

Paulo Cézar

PAULO CEZAR PEREIRA, também chamado de PC ou Paulinho da Baixada, aprendeu jornalismo nas redações de alguns principais veículos – rádios,jornais e revistas. Conheceu, como Repórter Especial do GLOBO, praticamente todos os estados brasileiros, as duas antigas Alemanhas antes da reunificação, Suiça, Austria, Portugal, França, Itália, Bélgica, Senegal, Venezuela, Panamá, Colômbia e a Costa Rica. É casado com Ana Maria e tem três filhas que já lhe deram cinco netos. Tem três paixões: a família, o jornalismo e o Flamengo. No passado, assessorou um governador, um senador, dois prefeitos e vários deputados. Comandou a área de Comunicação de Nova Iguaçu num total de 12 anos. Já produziu três livros : um para a Coleção Tiradentes, outro contando a evolução de Nova Iguaçu quando a cidade completou 170 anos, e o do jubileu de ouro da Diocese de Nova Iguaçu.