76% dos brasileiros são contra reabrir escolas, diz Datafolha

junho 27, 2020 /

Para 76% dos brasileiros as escolas deveriam continuar fechadas pelos próximos dois meses em razão da pandemia do novo coronavírus. Pelo menos é isso que mostra pesquisa do Datafolha.

A margem de erro do estudo é de dois pontos. O instituto ouviu 2.016 pessoas na terça (23) e quarta (24) por telefone.

Por enquanto, nenhum estado retomou as aulas, mas Goiás e Distrito Federal querem retomá-las em agosto. Em São Paulo, a previsão é setembro. Na capital do Rio, o prefeito Marcelo Crivela já anunciou até a data de reabertura das escolas privadas, 15 de julho, mas as da Prefeitura só serão reabertas em agosto.

Em Nova Iguaçu, o prefeito Rogério Lisboa disse, via redes sociais, que só vai discutir a reabertura das escolas da rede municipal em agosto.

Esse alto índice contrário ao retorno se dá, de acordo com o levantamento do Datafolha, pelo medo dos pais de que as escolas não tenham estrutura para receber os filhos nesse momento, incluindo seguir protocolos de higiene e manter o distanciamento social.

A principal diferença na opinião acontece quando entra em jogo a avaliação do presidente Jair Bolsonaro. Apenas 9% daqueles que avaliam seu governo como ruim ou péssimo disseram que as escolas devem reabrir. O número sobe para 38% entre aqueles que consideram a atual gestão ótima ou boa.

A mesma pesquisa mostrou também que 52% dos entrevistados concordaram com a reabertura do comércio neste momento.

 

 

 

Paulo Cézar

PAULO CEZAR PEREIRA, também chamado de PC ou Paulinho da Baixada, aprendeu jornalismo nas redações de alguns principais veículos – rádios,jornais e revistas. Conheceu, como Repórter Especial do GLOBO, praticamente todos os estados brasileiros, as duas antigas Alemanhas antes da reunificação, Suiça, Austria, Portugal, França, Itália, Bélgica, Senegal, Venezuela, Panamá, Colômbia e a Costa Rica. É casado com Ana Maria e tem três filhas que já lhe deram cinco netos. Tem três paixões: a família, o jornalismo e o Flamengo. No passado, assessorou um governador, um senador, dois prefeitos e vários deputados. Comandou a área de Comunicação de Nova Iguaçu num total de 12 anos. Já produziu três livros : um para a Coleção Tiradentes, outro contando a evolução de Nova Iguaçu quando a cidade completou 170 anos, e o do jubileu de ouro da Diocese de Nova Iguaçu.